15 de julho de 2020

A poesia e o rio São Francisco: valorização dos saberes locais

Pela Lei 22832, de 4 de janeiro de 2018, hoje é o dia Estadual do Poeta. E o que a poesia tem em comum com o rio São Francisco? Podemos dizer que tudo, pois o Velho Chico com a sua extensão de 2,8 quilômetros quadrados é considerado o maior rio totalmente localizado em território brasileiro. E a importância deste rio ultrapassa as questões ambientais, ele é também uma fonte inspiradora para músicos, pintores, escritores e vários artistas que nele se inspiram para produzir sua obra.

E não apenas artistas consagrados retiram deles insumos poéticos e artísticos, a população local também nele se inspira para produzir sonetos e versos em agradecimento, contemplação e também preocupação com este rio que é tão importante para os mineiros.

Um exemplo, é o do Sr. Francisco Que nasceu em Araguari/MG e em 1983 conheceu e se encantou com o rio de São Francisco, e desde 2012 mora na cidade de Matias Cardoso e vem incansavelmente atuando para a preservação do rio São Francisco e suas lagoas marginais.

A cor das águas

"Pudesse eu mergulhar nas águas do Velho

E descobrir os segredos que guarda em suas areias.

Queria entender o que existe sobre elas.

Sujeiras escondidas dos homens?

Ou o barro que desce das montanhas?

Vermelhas, verde ou marrom barrento.

Seja qual cor for,

Existe sempre algo a esconder.

Para os pobres peixes deixam os metais carregados,

Que fazem suas guelras arderem.

Para a rainha o vil metal dourado.

As águas começam a subir,

As cores vão mudando,

Menos os segredos manchados dos homens".

Autor/ poeta: Francisco de Assis

Crédito da Imagem: Jefferson Silvestre

Projeto: P&D GT610 | Copyright 2020 - Todos os direitos reservados